VOCÊ É UM LÍDER 100 %? AS SETE COMPETÊNCIAS DO LÍDER EFICAZ

06/01/2016

VOCÊ É UM LÍDER 100 %? AS SETE COMPETÊNCIAS DO LÍDER EFICAZ

 

Sou da geração do "Manda quem pode, obedece quem tem juízo". Este adágio popular utilizado largamente nas décadas de 70 e 80, acabava sendo uma velada ameaça aos que ousavam não obedecer. Vivíamos os anos de chumbo e depois uma lenta distenção, fruto do golpe militar de 64. Também estudei a vida toda no Colégio Antonio Vieira, comandado por padres, nem sempre adeptos da participação estudantil (Vejam a obra prima "Machuca", um filme chileno sobre um colégio de padres freqüentado por crianças ricas, que recebeu meninos pobres, numa experiência do final do governo Allende).

Aliado a este cenário, fui criado numa tradicional família galega, onde meu pai era o patriarca, avesso a qualquer forma de democracia doméstica, sendo ainda o caçula temporão de três irmãs. Ainda tinha na hierarquia de poder sobre mim, cunhados já adultos e umas tias velhas espanholas. Enfim, era muito cacique para um único índio, no caso eu.

Talvez isso explique meu fascínio pela função de liderança e as relações de poder que se estabelecem, tanto nas relações familiares quanto nas do mundo corporativo. E de tanto observar líderes e chefes (estes na maioria), pude concluir que o exercício da liderança é atributo de poucos e passa pelo que chamei das sete competências essenciais.

Tudo começa pelo COMPROMISSO e por respondermos a uma pergunta da verdade! Escolho ser líder pelo serviço e pelo propósito ou gosto do status e do poder que esta inserida na função ? Então, exercendo o ofício como missão, o líder tem que aperfeiçoar suaCOMUNICAÇÃO, para que esta seja clara e direta, ter o atributo da CONFIANÇA, acreditando que a única forma de tornar um homem confiável é confiando nele. Entender que embora tenha que estar atento, a maioria das pessoas praticam o bem e que os melhores liderados são os que precisam pouco dos chefes para realizar o seu trabalho.

O Líder tem que desenvolver seu trabalho com SIMPLICIDADE, que deve passar a ser seu estilo de vida, evitando criar dificuldades para depois vendê-las em forma de facilidades. Saber dar LIMITES, mostrando que hierarquia e disciplina são ótimos atributos para a convivência, se usadas adequadamente. Por fim, praticar a AMOROSIDADE, tanto pelo seu trabalho "Goste do que faz para não precisar trabalhar", quanto pelas pessoas, entendendo com compaixão, as vulnerabilidades e a área de sombra de nós, seres humanos.

Então, comprometido com a missão, se comunicando com clareza, sabendo dar limites e sendo simples, confiável e amoroso, ele está pronto a exercer a sétima competência, que é ser um Líder de RESULTADO. Resultados que devem ser de bolso, mas também de alma "A gente não quer só comida".

E aí? Você é um Líder 100%? Se ainda não, tudo bem. O importante é entender que o exercício da liderança é um processo contínuo de aprendizado que muitas vezes perpassa uma vida inteira; aprendemos até no leito da morte. Exercício que começa quando você entende que ser o cacique ou o chefe é mera prerrogativa administrativa, de pouca relação com ser legitimado ou não, e quando você entende que, como disse Lao Tzé, "Liderança é melhor quando eles dizem, nós o conseguimos". Conquistas estas que na maioria das vezes, tem pouco a ver com coisas, como obediência ou juízo.

Fonte: Victoriano Garrido Filho
Diretor de Educação Corporativa da ABRH-BA
vgarrido@terra.com.br