A Força da Esperança

20/01/2016

A Força da Esperança

 

Por: Marco Fabossi (*)

 

Discursando na cerimônia de formatura da Universidade do Texas em 2014, o Almirante da Marinha, William H. McRaven, falou sobre as lições cruciais que aprendeu durante o treinamento básico para ingressar na unidade SEALS da marinha. Uma lição particularmente poderosa aconteceu quando ele juntamente com outro aspirante a SEAL enfrentaram 15 horas de “luta contra um frio congelante, contra a lama, o vento que rugia e a pressão dos instrutores para que desistissem”.

 

Esse desafio quase que inimaginável encerrava o que era chamada de “semana no inferno”, depois de seis dias sem dormir, sob constante tormento físico e mental. Esse exercício do tipo “ou vai ou racha” foi realizado num terreno pantanoso onde a lama engole qualquer um que entre ali.

 

Depois de oito horas nadando na lama gelada, alguns homens, tomados pelo desespero, estavam prontos para desistir. Foi então que inesperadamente um homem corajoso começou a cantar. Aos poucos, um por um, todos se juntaram na canção e “de algum modo, a lama parecia mais quente e o vento mais suave”, segundo o Almirante. Como resultado, os aspirantes a SEAL sobreviveram àquela noite.

 

A música estava fora de tom, mas proporcionou esperança, o principal elemento para sobreviver a qualquer prova severa.

 

– Se tenho aprendido algo em minhas viagens pelo mundo, é o poder da esperança – afirmou McRaven – O poder de uma pessoa: Washington, Lincoln, Mandela, e até mesmo da jovem paquistanesa Malala. Uma pessoa pode mudar o mundo oferecendo esperança às pessoas.

 

(Adaptado do Texto de Texto Rick Boxx)

 

Poucos de nós experimentarão a intensidade de um treinamento de forças militares especiais, mas no ambiente profissional, suportar a pressão e o estresse de um dia de trabalho, às vezes, parece ser mais exigente do que poderíamos imaginar. E nesses momentos todos nós precisamos que alguém nos ofereça esperança. “Estamos vivos, todos os 33, no abrigo“. Essas poucas palavras, escritas num pequeno pedaço de papel, provocaram euforia em todo o Chile e devolveram a esperança às equipes de resgate e aos familiares daqueles 33 mineiros soterrados numa mina de cobre.

 

Esperança, como diz Mário Sérgio Cortella, vem do verbo “esperançar”, que é diferente de “esperar”. Todos nós “esperamos” por algo ou alguém em muitos momentos da vida, mas isso não é esperança, é espera. Esperança é a confiança em algo positivo que nos impulsiona a dar o nosso melhor para que aquilo que esperançamos aconteça. É o sentimento de quem vê como possível a realização daquilo que deseja. Esperança é Fé.

 

A esperança é o combustível da vida, e se apresenta na forma de um olhar, um bilhete, um sorriso, uma palavra ou um abraço, por isso, trabalhar em equipe é uma grande oportunidade para que possamos esperançar aqueles que estão à nossa volta, e também ser esperançados por eles, porque viver sem esperança é o mesmo que viver sem sonhos, sem alegria e sem motivações, ou seja, viver sem esperança é quase não viver.

 

Por isso, se você tem a esperança de melhorar o ambiente de trabalho, o clima organizacional e os resultados, use a própria força da esperança a seu favor. Acredite, engaje-se, trabalhe, faça o seu melhor, e plante a semente da esperança na vida daqueles que estão ao seu redor.

 

Ainda que o cenário não seja dos mais promissores, como disse Paulo Freire, “Num país como o Brasil, manter a esperança viva é em si um ato revolucionário”, então, faça uma revolução, tenha esperança e ofereça esperança.

 

Um Grande Abraço,

 

(*) Marco Fabossi é Conferencista, Escritor, Consultor, Coach Executivo e Coach de Equipe, com foco em Liderança. Sócio-diretor da Crescimentum – Alta Performance em Liderança, que tem como missão: Construir um mundo melhor, transformando pessoas em líderes extraordinários“.