Dá para falar de carreira em tempos de crise?

29/07/2016

Artigo: Dá para falar de carreira em tempos de crise?

 

Por: Flávia Kurth, Diretora executiva da Véli Santa Catarina

 

Já sabemos que 2016 está sendo um ano de ajustes duríssimos em nossa economia.

Inevitavelmente todos nós seremos atingidos. Isso se não fomos ainda.

Mesmo as empresas menos abatidas pela crise sabem que é preciso ter um olhar engenhoso para sua estrutura de custos e seus processos internos.

A regra do jogo é bem clara: temos que produzir bem, muito e com pouco!

E aí vem a pergunta: Dá para falar em carreira em tempos de crise?

A resposta é SIM!

Aliás, pensar carreira não só é possível, como tremendamente necessário em tempos como este.
Primeiro porque, apesar da retração e nebulosidade no cenário econômico brasileiro, o mundo não parou, o país não parou, os negócios não pararam. As empresas continuam precisando de gente boa, qualificada, que a apoie e ajude seu negócio a driblar as dificuldades.

E depois, porque toda situação de crise é, no mínimo, uma grande oportunidade de reflexão e aprendizado profissional.
Lamentavelmente, muitas pessoas que viveram e trabalharam no cenário de pleno emprego até pouco tempo atrás, não se empenharam em administrar suas carreiras.

Muitos não se preocuparam com capacitação, nem se atentaram para as necessidades e desafios de suas empresas a fim de alinhar seu desempenho a estes propósitos, assim como não mantiveram o foco em se tornar e a determinação em se manterem como profissionais acima da média.

O que ocorreu, entretanto, foi que muitos também não consideraram que a situação econômica no país poderia mudar.
Hoje, com a taxa de desemprego no Brasil beirando os 9%, a maior lição que muitos brasileiros estão aprendendo a duras penas é a de que, no passado, deveriam ter sido mais cuidadosos com suas carreiras.

A verdade é que, em se tratando de carreira profissional, as pessoas tendem a pensar só no “aqui e agora”, e o despreparo para o futuro é uma grande armadilha!

Aqui vão quatro dicas para ajudá-lo a cuidar de sua carreira mesmo em tempos de dificuldade:

1) ASSUMA O COMANDO
A primeira grande decisão a tomar com relação à sua carreira é a de se postar como protagonista dela! Minguar-se frente à crise e se lastimar como vítima, não o levarão a lugar algum. A empresa em que você trabalha, a instituição onde estuda, bem como sua família e colegas são coadjuvantes de sua história profissional. Podem até ajuda-lo, agindo como facilitadores ou apoiando você financeira ou emocionalmente. Mas não transfira a eles a responsabilidade pela administração de sua carreira, muito menos pelo seu sucesso. Esta incumbência é sua!

2) SAIA DA ZONA DE CONFORTO ANTES QUE SEJA DESPEJADO DELA!
O que as empresas mais desejam de seus profissionais neste momento é que consigam olhar “através da crise” e que não se escondam silenciosamente dentro da organização. Portanto, pense em formas de cooperar, levando a seus superiores sugestões para que o faturamento cresça e os custos caiam. Mantenha o foco no alto desempenho e evite o desperdício de tempo e outros recursos. Tenha a certeza de contribuir para que a empresa esteja mais bem organizada, mais forte e enxuta quando a tempestade passar. Se você adotar estes comportamentos no trabalho, as chances de ser bem visto aumentam consideravelmente, além de ser lembrado quando uma oportunidade de crescimento aparecer.

3) VOCÊ ESTÁ NA LINHA DE RECEITAS OU DE DESPESAS DE SUA EMPRESA?
Ouvi recentemente em uma palestra do fundador da BizRevolution: “toda empresa tem problemas e soluções. As soluções são facilmente associadas ao que lhe traz faturamento, enquanto os problemas estão relacionados às contas que ela tem para pagar: suas despesas.” Se você não percebe a relação de seu trabalho, seja ele qual for, com o faturamento da empresa, muito provavelmente está agindo como despesa para ela. E daí o risco é grande de sua carreira levar um susto e você ser cortado do quadro justamente por “redução de custos”. Pense nisso!

4) CAPACITE-SE SEMPRE.
Investir em capacitação deve ser um processo contínuo dentro de sua carreira e, ao contrário do que você possa pensar, a crise não serve de justificativa para não se dedicar a isso. Muito pelo contrário!

Capacitar-se não necessariamente implica em custo. Hoje existem inúmeras possibilidades de participação em cursos presenciais e online, webinars, e leituras variadas totalmente gratuitas.

Em resumo, a crise econômica não legitima qualquer congelamento na administração de sua carreira. E, se você não pensar nela, corre o risco de acabar surpreendido pelo mercado ou por sua empresa que podem decidir sobre ela por você!

 

Linha Direta

Véli RH