Pontos fortes e fracos (que eu chamo de pontos de melhoria) – como lidar com cada um deles?

29/08/2016

Pontos fortes e fracos (que eu chamo de pontos de melhoria) – como lidar com cada um deles?

Vou escrever sobre pontos fortes e pontos fracos que possuímos.

Meu objetivo principal, em minhas postagens, é ser direto e claro.

Assim, dentro dessa linha de pensamento, vamos dizer que um “ponto forte” que possuímos é fazer de forma estável (quase que perfeitamente) uma determinada tarefa. Sabe aquela atitude que você adota e sempre sai certinho. Isto, em você, é um ponto forte.

Uma coisa fundamental para que consideremos um ponto forte é que a sua execução precisa ser feita de forma consciente. Vamos dar um exemplo de um jogar de basquete famoso, o Oscar Schmidt. Fazer cestas no basquete era seu ponto forte. Ele, de forma consciente, ia lá e “pimpa!”, cesta para o Brasil!!! Desta forma, olhe para você e pense: o que é que eu faço, de forma repetida, conscientemente e sempre sai certo?

Outro aspecto a ser avaliado quando temos um ponto forte, é que precisamos estar satisfeitos quando estamos usando essa habilidade. Melhorando a pergunta: o que é que eu faço, de forma repetida, conscientemente, feliz e sempre sai certo?

Bom, quero aproveitar para esclarecer e lhe oferecer uma boa notícia. Você não precisa ter somente pontos fortes para ser uma pessoa bem sucedida, na vida pessoal ou na profissão. Muitas pessoas são excelentes no que fazem, mas possuem inúmeras arestas em outros setores. Estas arestas são conhecidas como “pontos fracos” u como refiro chamar pontos de melhoria.

Esclarecendo: ponto fraco é aquela habilidade que você não domina, que faz, mas tem dificuldade e, em alguns momentos, chega a lhe incomodar.

Notícia!!! Não abandone seus pontos fracos; não os ignore. Identifique-os.

Pessoas de alta performance, que possuem pontos fortes, aprenderam a contornar seus pontos fracos.

Aqui posso dar o exemplo de uma cara, “pouco conhecido”, chamado Bill Gates. Ele era sensacional em transformar inovações em aplicações fáceis de usar, mas não era bom no desenvolvimento de empresa. O que é que ele fez com este seu ponto fraco? Resposta: Associou-se a Steve Balmmer, cujo ponto forte era ser um excelente administrador. Cesta para a Microsoft!!!

Na verdade, o exemplo que dei acima é uma demonstração de que precisamos trabalhar sobre nossas fraquezas, o suficiente para que elas não atrapalhem nossas virtudes.

E, para encerrar, quero deixar uma contribuição: valorize, use e abuse de seus pontos fortes, sejam eles quais forem e, aprenda a identificar e administrar seus pontos fracos, sejam eles quais forem.

E aí? Quais são seus pontos fortes? Sabe como identificá-los? Como tirar o máximo deles, em seu benefício?

E os seus pontos fracos? Como vai administrá-los? Como controlá-los em seu benefício?

É aí que o Coaching entra em campo.

Assim, quero lhe dizer que o Coaching faz com que as pessoas, no campo pessoal ou profissional, fortaleçam sua autoconfiança, impulsionem sua capacidade e desejo de aprender, alterem sua visão de mundo e, com isso, façam a diferença.

O Coaching é a forma de ajudar você a parar por uma hora por dia, um dia por semana e, pensando com o seu Coach, encontrar seus pontos fortes e fracos. Tempo, local e horário flexível oferecem a oportunidade do desenvolvimento, tomando atitudes, para alcançar sua meta, aquilo que, realmente, vai fazer você se sentir melhor.