8 Dicas indispensáveis para conquistar seu emprego

12/04/2017

Conseguir um bom emprego está sendo considerado um dos grandes desafios que os profissionais vêm enfrentando nos dias atuais. Obter uma colocação satisfatória tornou-se tarefa árdua, principalmente em épocas nas quais o mercado de trabalho encontra-se extremamente recessivo e competitivo. Se você está procurando novas e melhores oportunidades, acompanhe as dicas que podem ser decisivas para vencer a “maratona do emprego”.

Durante uma entrevista de emprego um candidato se vê embaraçado quando o selecionador faz a seguinte pergunta: “Quantas listras tem uma zebra?”

Entrevistas deste tipo são cada vez mais comuns durante os processos seletivos. Diferentemente do passado, quando se contratava tendo como base apenas a formação acadêmica e os cursos extracurriculares, atualmente tornou-se necessário identificar um conjunto de competências que irão diferenciar um candidato dos demais, e isso vai muito além da mera análise de um currículo bem elaborado.

Na verdade, as organizações modernas estão a “caça” de talentos com uma boa base teórica, mas que também possuam virtudes de caráter subjetivo que são imprescindíveis frente à nova realidade social e econômica. Algo como: capacidade para solucionar problemas, para desenvolver trabalhos em equipe, para liderar…, enfim, qualificações pessoais ligadas a aspectos de personalidade e ao perfil psicológico como um todo.

E para identificar estes profissionais no mercado de trabalho, vale tudo. Muitas organizações desenvolvem elaborados processos de dinâmicas de grupo, entrevistas individuais com psicólogos etc., tudo isso com o objetivo de selecionar o suposto “candidato ideal”. Algumas empresas chegam a recorrer às Consultorias de Recrutamento & Seleção e aos Headhunters, dependendo do nível do cargo em questão, para ter uma contratação mais eficiente e assertiva.

E para os trabalhadores, não resta alternativa senão a de estarem preparados para participar dos elaborados processos seletivos e disputar as concorridas oportunidades de colocação que surgem no mercado. Afinal, mais do que nunca, é preciso ter habilidade para “vender o próprio peixe” uma vez que tal iniciativa pode ser fator determinante de sucesso ou fracasso durante a acirrada disputa por uma vaga de emprego.

Vejamos, então, algumas importantes dicas para se tornar atraente às empresas, estando mais competitivo e se destacando durante um processo de seleção:

1. Elabore um currículo eficiente:

O currículo, em geral, é o primeiro instrumento de marketing pessoal que irá “vender” suas qualificações às empresas e exatamente por isso merece atenção especial. Diferentemente do passado onde um bom currículo era considerado aquele que de tão extenso tinha até sumário, o modelo atual deve ser bem objetivo, ideal em duas ou três folhas, dispensando as informações e os detalhes que não possuam maiores relevâncias. O texto deve ser convidativo à leitura.

A aparência geral do currículo deve ser impecável. Porém, muito cuidado com alguns exageros de maquiagem como, por exemplo: excesso de palavras em itálico e negrito, cores berrantes e efeitos mirabolantes. Erros de português, nem pensar. Lembre-se sempre que o seu currículo vai refletir a sua imagem.

Quanto aos tópicos, é importante iniciar descrevendo seus Dados Pessoais e logo abaixo destacar um Objetivo claro e bem definido, que dê foco à sua área de interesse. Sobre a Formação Acadêmica deve-se dispor apenas a formação superior ou os últimos níveis de escolaridade.

Ressalte seu nível de fluência nos idiomas e os cursos realizados, além de seu domínio de ferramentas específicas relacionadas à sua área de atuação. O Histórico Profissional deve ser apresentado de forma sintetizada. Relacione as empresas, os cargos assumidos e respectivas atribuições funcionais, responsabilidades e principais êxitos e realizações conquistadas ao longo de sua trajetória profissional. Busque não se tornar repetitivo.

Por fim, reserve um bom tempo para elaborar um modelo de currículo eficiente e personalizado, que retrate de forma eficiente seu perfil de qualificações, pois esta é uma importante ferramenta de apresentação – marketing pessoal impresso – que poderá ser responsável pela abertura de novas e melhores oportunidades no mundo corporativo.

2. Faça uma autoavaliação:

Alguns estudos demonstram que a maior parte dos executivos que sobressaem em suas atividades está implicada também por uma satisfação pessoal e, não apenas, por uma mera motivação relacionada a uma recompensa salarial. Assim, se você deseja conquistar oportunidades no mercado de trabalho, é importante se preocupar em descobrir quais são as suas aptidões, os seus maiores interesses e as suas principais habilidades, visando conseguir bons resultados durante a procura de um novo emprego. As empresas valorizam os candidatos que estão verdadeiramente comprometidos em suas áreas de atuação. Afinal, é só desta forma que se pode obter a excelência no desemprenho profissional.

Antes de se apresentar às empresas, faça uma autoavaliação. Você pode começar se perguntando: “O que eu mais gosto de fazer?” “Que assuntos mais me motivam?” “Em que situações eu desempenho melhor minhas habilidades?” “Dos trabalhos que já realizei, quais me trouxeram maior satisfação?” “Eu tenho mais facilidade para lidar com números ou com pessoas?” “Quais são as qualidades que fazem parte do meu perfil que eu posso aplicar no meu dia-a-dia e no trabalho?”

3. Crie as suas próprias oportunidades:

Após o momento em que você possuir um bom nível de autoconhecimento, se identificando totalmente com o cargo ou posição que irá pleitear, será hora de buscar as organizações as quais você mais se identifica. Estar decidido a trabalhar especificamente para determinada empresa é fundamental para se potencializar bons resultados. Mas, para isso, você deve arregaçar as mangas e assumir um comportamento proativo. Alguns estudos demonstram que os candidatos que abordam o mercado de trabalho apenas respondendo a anúncios em sites especializados de emprego obtém um índice de aproveitamento inferior a 10%, ou seja, para cada 100 profissionais que enviam currículos respondendo apenas aos anúncios, mais de 90 não obtêm êxito de recolocação.

Pensar assim nos leva a entender a importância de aparecer ao máximo para as oportunidades. Afinal, nos dias de hoje, não basta apenas ficar em casa esperando as ‘boas chances’ serem divulgadas pelas empresas. Tal atitude está longe de ser um bom modelo de comportamento para quem busca recolocação em um mercado altamente recessivo e competitivo. É preciso criar as próprias oportunidades!

Segundo os especialistas e as principais consultorias de recursos humanos, os métodos mais eficazes para procurar um trabalho são:

A) Entrar em contato com as consultorias de recursos humanos, mesmo não havendo uma vaga de emprego em aberto em sua área de atuação, solicitar uma entrevista sem compromisso, não deixando também de enviar seu marketing pessoal impresso por e-mail.

B) Utilizar a sua rede de relacionamentos como fonte de pesquisa – network pessoal – amigos, familiares, clientes, ex-professores, ex-chefes etc.

C) Utilizar a Internet como fonte de pesquisa e apresentação às empresas – considerando os sites e redes sociais profissionais, tais como: LinkedIn etc.

D) Buscar auxílio com uma Consultoria especializada em Gestão e Transição de Carreira – Outplacement.

Fica, então, a principal dica para quem estiver em busca de novas e melhores oportunidades: Circule ao máximo, veja e seja visto, estabeleça contatos com pessoas de diversas áreas de atuação, procure divulgar-se às empresas e apareça ao máximo às oportunidades.

4. Cuide da sua aparência:

Antes de se apresentar às empresas, é fundamental se preocupar com a sua aparência. Em pesquisa efetuada pelo grupo Catho, ficou comprovado o grau de importância da apresentação de um candidato como fator de forte influência durante um processo de seleção.

Assim, um bom candidato deve apresentar-se do melhor modo possível, mas sempre de acordo com a sua área de atuação e com a cultura da empresa. Seja qual for o cargo pleiteado, devemos investir em uma aparência, vestuário, comportamento e postura, compatíveis com o perfil da posição. É importante que o entrevistador tenha a percepção do candidato como que já ocupando o cargo em disposição. Vale lembrar que boa aparência nunca foi um sinônimo de beleza, mas pode ser fator decisivo no momento da escolha profissional.

Alguns cuidados fundamentais, que podem ser aplicados a todos, devem ser tomados visando causar uma boa impressão durante um processo seletivo. A higiene pessoal deve ocupar posição de destaque.

Quanto aos homens: Cabelos devem estar limpos, penteados e com um bom corte. Barba feita e dentes bem escovados, atentando ao mau hálito. Unhas devem estar limpas e cortadas. Se possível, evitar os adereços como brinquinhos, pulseiras extravagantes etc. As roupas devem estar impecáveis, passadas e sem manchas. Sapatos engraxados e combinações adequadas. Esteja atento ao caimento de suas roupas. Procure sempre evitar os fortes perfumes. O aspecto mais agradável é aquele que passa uma sensação de um banho recém tomado.

Quanto às mulheres: Devem se apresentar com cabelos limpos, penteados e com um bom corte – podendo estar preso. Dentes bem escovados, atentando ao mau hálito. Unhas devem estar limpas e feitas. As roupas devem estar passadas e sem manchas. As combinações devem ser adequadas, evitando saias curtas, calças extremamente apertadas, blusas decotadas, transparentes e que deixam a barriga de fora. As vestimentas devem ser apropriadas para um ambiente de trabalho. Os fortes perfumes e excessos de maquiagem e devem ser evitados. O bom senso deve sempre prevalecer.

5. Prepare-se às entrevistas:

Procure estudar previamente as organizações às quais você irá tentar “vender o seu peixe”. Investigue sobre sua política, seus serviços, produtos e tudo mais que for possível para, só então, estabelecer um suposto contato. Apresentar conhecimentos no que diz respeito à cultura e atividades da organização causa uma boa impressão ao entrevistador. Estas informações podem ser colhidas através da Internet, também nos respectivos sites das empresas.

É importante demonstrar interesse nas futuras responsabilidades e em ser aproveitado de forma compatível com o potencial que possui. Assim, elabore perguntas sobre suas obrigações ante ao cargo em questão. A ambição de crescimento profissional é outro ponto que deve ser destacado.

Não se esqueça de avaliar previamente as pessoas às quais você indicará para o fornecimento de suas referências pessoais e profissionais – quando cabíveis. Tente saber se elas são confiáveis e qualificadas para falar sobre você.

Faça, também, uma avaliação do tempo que você necessita para chegar às entrevistas no horário agendado. Pontualidade durante os encontros é outro importante dado a ser avaliado. O ideal é que o candidato possa calcular uma média de quinze minutos de antecedência para se aclimatar com o ambiente, quebrando ao máximo qualquer tipo de ansiedade.

6. Encare os encontros seletivos com ética e profissionalismo:

Em primeiro lugar, esteja ciente de que a empresa busca resolver um problema dela, e não o seu. Desta forma, dispense as demonstrações de carências e necessidades particulares, muitas vezes com um toque de chantagem emocional, e assuma uma postura que valorize suas qualificações frente às necessidades da empresa. Um bom candidato demonstra ao contratante seu potencial de trabalho, deixando claro que suas virtudes trarão os resultados esperados. Não saia de casa em busca de um simples emprego, mas sim de uma empresa que esteja de fato necessitando de sua prestação de serviço.

Desenvolva um bom rapport, ou seja, uma relação inicial de sintonia com o selecionador. A empatia só vai facilitar na hora de conquistar a confiança. Nunca estabeleça relações do tipo queda de braço. Lembre-se que você está tentando “vender suas qualificações” e por isso a melhor estratégia sempre será a de atender as necessidades do seu cliente, neste caso a empresa para a qual você deseja trabalhar.

Dispensar críticas a empresas e chefes anteriores é também sinal de ética profissional e maturidade. Um bom candidato não alonga discussões sobre tais aspectos, pois podem ser interpretadas de modo extremamente desfavorável.

Esteja atento à sua postura. Alguns candidatos assumem uma postura do tipo “Presidente da empresa” e isso pode ser interpretado como pura arrogância. Outros tentam mostra-se extremamente relaxados e familiarizados com a organização e acabam quase colocando os pés sobre a mesa do selecionador. Busque sempre encontrar o equilíbrio em suas atitudes. Se possível, assuma uma postura descontraída, porém mantendo a seriedade. Lembre-se que por mais simpático que possa ser o contratante, você está sendo avaliado.

7. Adie, ao máximo, discussões sobre salário:

A pretensão salarial deve ser discutida apenas no momento em que você estiver negociando sua contratação. Assim, este assunto deve ser tratado ao final das entrevistas, de preferencia, com a pessoa encarregada pela sua possível contratação.

É muito importante estar ciente da faixa salarial compatível com seu cargo e/ou função. Afinal, não vale a pena se desvalorizar visando conquistar uma suposta vaga, muito menos colocar sua pretensão salarial acima da média, mesmo se a sua última remuneração estiver acima do mercado. O ideal é estar em busca de um trabalho que lhe renda um benefício compatível com os seus atributos e com a sua capacidade de realização.

8. Após os encontros seletivos:

Após as entrevistas não basta apenas aguardar um contato por parte da empresa. Mostrar interesse na oportunidade, procurando não ser inconveniente, é extremamente bem visto. Assim, agradeça pela oportunidade de apresentação pessoal através de um simples e-mail.

 
Bem, é claro que não existe uma “fórmula magica” que possa garantir sucesso aos profissionais durante os concorridos processos seletivos. Não existe uma “receita de bolo” e não se pode ‘fabricar’ um perfil ideal de comportamento que atenda a qualquer tipo de demanda das empresas. Porém, esperar o emprego bater à sua porta, não é a saída mais adequada, principalmente neste cenário de alta crise e recessão.

Com isso, vale a pena questionar-se quanto à postura adotada nos últimos tempos e refletir sobre tudo aquilo que pode ser feito para melhorar seu desempenho. Prepare-se ao máximo para estar competitivo e se manter empregável nesta nova realidade repleta de oportunidades, apenas disponíveis àqueles que lutam bravamente por elas.