Pessoas que não cumprem as metas: como lidar com elas?

28/03/2014

Pessoas que não cumprem as metas: como lidar com elas?

É preciso uma atitude direta da direção que faça bem tanto para o funcionário quanto para a empresa

 

Saber definir objetivos é muito importante, porém, em uma empresa ou equipe sempre haverá um grupo que não conseguirá bater ou cumprir as metas. Muitos se mantêm na lembrança de metas atingidas no passado e esquecem do que acontece agora, no presente. Conquistar metas é algo que deve sempre ser renovado: conquistou uma? Parta para outra. Acomodar-se não é uma opção.

Porém, esse é um problema comum e muitas empresas acabam deixando-se levar por ele, sem tomar as decisões e atitudes necessárias. Normalmente, a empresa simplesmente aprende a ignorar o grupo ou transfere o problema para o RH. Qual a solução nesse caso? Substituição de funcionário?

Mas e se você estiver mandando embora um diamante bruto? Substituir funcionários nunca resolve o problema, é como tapar o sol com uma peneira. É preciso uma atitude direta da direção, que fará bem tanto para o funcionário quanto para a empresa – e demiti-lo não é bom para nenhum dos dois.

Vamos supor que o responsável pelo RH vai ter que cuidar do processo de demissão, planejar o perfil da vaga, abrir, passar pelas escolhas, burocracia e pronto: contratou um novo funcionário. O problema então passa a ser do coordenador de treinamento, que se torna responsável por colocar o novato no ritmo e nível da equipe – sem falar que ele terá que conquistar seu espaço e a confiança dos outros.

Em vez de lidar com esses problemas de demissão e contratação de um pequeno grupo, eu proponho outro caminho: treiná-los. Separe o grupo daqueles que não cumprem as metas. Faça reuniões com esse grupo e pergunte-os sobre qual o problema que eles enfrentam. Liste-os e discuta sobre soluções viáveis para a empresa e para o grupo. Após a discussão, promova os treinamentos e sane os problemas encontrados por eles.

Depois de algumas semanas, será visível a transformação de algumas pessoas. Porém, é provável que alguns que não obtenham os resultados desejados. Esses sim podem ser substituídos.

Esse caminho diferente permite que sejam diminuídos os problemas gerados por demissão e contratação, promove uma maior confiança entre os funcionários e a empresa. Essa nova atitude também mostra que a empresa é comprometida com os resultados dos funcionários, que não os trata como meras máquinas, além da sensação da empresa ter feito tudo o que estava em seu poder por seus funcionários.

Porém, um fator muito importante é não dar atenção somente ao grupo que está melhorando. Se o grupo que batia meta antes for ignorado, o rendimento deles irá cair, causando um ciclo de improdutividade. Como já dizia Einstein, insanidade é fazer sempre as mesmas coisas e esperar resultados diferentes. Procure novos meios para resolver problemas antigos e incômodos.

Aceitar e se acomodar com ações improdutivas e que não trazem resultados positivos não o ajudará, apenas beneficiará o concorrente. E convenhamos: não é isso o que você quer, não é?