Tipos de comportamentos destrutivos no trabalho

06/01/2015

Mau humor, procrastinação e egocentrismo prejudicam o próprio profissional e toda a equipe ao redor.

Bernt Entschev

coluna@debernt.com

Não é de hoje que se discute a influência do fator comportamental no desempenho dos profissionais, e as consultorias dão cada vez mais importância à inteligência emocional dos indivíduos. Isso ocorre, principalmente, porque para gerenciamento de crises, gestão e trabalho em grupo, mais que conhecimento técnico, é importante saber lidar com pessoas. Portanto, um profissional equilibrado é um diferencial no meio corporativo. Mas e quando surgem comportamentos inadequados? Como enfrentá-los?

Mau humor

O profissional mal humorado reclama de tudo e de todos, faz questão de sempre expor suas insatisfações e faz tudo de má vontade, como se contasse os minutos para mudar de emprego. Esse comportamento acaba influenciando negativamente o trabalho em equipe, pois trava o desenvolvimento dos processos, ocasionando a falta de motivação.

Procrastinação

É o hábito de deixar sempre tudo para depois. Não são raros os casos de funcionários “enroladores” no mercado, e o maior problema, além da baixa produtividade, é o que esse tipo de atitude acarreta como um todo nas empresas. A procrastinação pode causar estresse e insatisfação profissional, além de minar a motivação do grupo pelo trabalho. Uma excelente arma contra a procrastinação é estabelecer metas, organizar tarefas e enrijecer os prazos.

Egocentrismo

O profissional egocêntrico, ou arrogante, é aquele que acredita saber de tudo e entender de todos os assuntos – mesmo os que não lhe cabem. Esse comportamento geralmente mascara um perfil inseguro, pautado no medo do profissional de ser percebido como incompetente.

É importante que os profissionais de hoje se atentem para o próprio comportamento, tanto quanto para a capacitação. As habilidades sociais são um grande diferencial no mercado de trabalho. A maior causa de desligamentos é a inabilidade comportamental. Quando o problema é baixo conhecimento técnico, cursos e atualizações podem resolver o problema, enquanto a inteligência emocional depende única e exclusivamente do profissional. Avalie a sua postura. Pode ser que suas atitudes estejam atravancando o seu sucesso.

A NOTÍCIA